Skip to Content

Os novos modelos de compra baseado nas transformações em Procurement

Como a transformação digital em compras promove economia, produtividade e transparência nas transações comerciais? Veja mais neste artigo.

É necessária uma nova abordagem com a evolução do setor de compras. Os líderes estão em busca da transformação das suas organizações mudando sua mentalidade, processos e tecnologias a fim de estabelecer respostas de acordo com as necessidades. 

Alguns pilares são fundamentais para transformar o ato da compra em algo benéfico, para a empresa que gera impacto positivo para o cliente. A primeira vertente tem como objetivo melhorar a vida das pessoas por meio da iniciativa de compra com propósito. Sendo assim, é primordial que uma empresa desenvolva e ofereça produtos que consideram a transparência da cadeia de suprimentos.

Para tornar este Supply Chain transparente é relevante estar bem posicionado no ramo de capacitação de empresas em todos os setores para selecionar bons fornecedores. Neste caso, há 3 tipos de ferramentas que auxiliam as empresas a atingirem seus objetivos, como:

Source-to-contract: respalda a qualificação e a gestão de riscos de fornecedores (solução que integra risco e impacto no momento de tomar decisões, como concessão de contrato ou seleção de fornecedor); 
Ciclo de suprimentos: auxilia na escolha de fornecedores éticos e qualificados, e no reforço de políticas de compras com propósito por meio de recursos de compra guiada; 
Uma metodologia de engenharia de valor, incluindo benchmarking com pares e concorrentes e justificativas para sustentar o processo de negócios e as melhorias nos indicadores-chave de desempenho (KPI).

Grandes organizações ainda veem como um grande desafio iniciar um programa de compras orientada por propósito, seja por falta de recursos ou pelas práticas trabalhistas dos fornecedores. As soluções da SAP Ariba agem de acordo com seus três pilares de sustentabilidade para auxiliar estas organizações a contratarem fornecedores que atendam a todos os requisitos:

Pilar 1 – Direitos humanos e do trabalho;
Pilar 2 – Energia e mudanças climáticas;
Pilar 3 – Criação de comunidades sustentáveis por meio de compras responsáveis. 

Não seguir as práticas de propósitos sociais e de responsabilidade corporativa pode gerar consequências, principalmente quando uma gestão incorreta de questões sociais gera danos à reputação da marca, ações judiciais, multas, paralisações ou protesto dos consumidores. Neste caso, é preciso considerar os insights abaixo:

• Muitos padrões e classificações – variando por mercadoria, setor, país e regulamentação;
•  Informações dispersas e de baixa qualidade dos dados e sistemas descentralizados;
•  Métricas com foco nos esforços e não nos resultados – dimensionamento dispendioso;
• Personalização e integração de sistemas financeiramente inviáveis para fluxo de trabalho;
• Transparência e garantia são indispensáveis na cadeia de suprimentos -sustentabilidade e TI como chaves para stakeholders, mas difíceis de aceitar sem o valor econômico;
• Organizações administrando crescentes riscos legais e de reputação;
• Falta de expectativa dos investidores – risco de mudanças na diretoria.

Áreas de compras que aproveitam o poder da tecnologia para se reinventar, como no caso da Nielsen, que implementou um software que utiliza dados históricos de compras em tempo real e de inteligência de fornecedores na Ariba Network, podem aumentar a transparência e oferecer novos insights sobre a cadeia de suprimentos, garantindo uma atuação ética e responsável. 

Insights de Negócios